Armadilhas por trás do TOP 0.1%

Armadilhas por trás do TOP 0.1%

A estação de monta chegou e com ela a ânsia do pecuarista adquirir a melhor genética bovina só aumenta. Com as edições dos sumários já consolidadas, os holofotes voltam-se aos touros melhor ranqueados. E aí mora o perigo!

O número decimal que designa o melhor reprodutor entre mil, pode esconder algumas pegadinhas. Atualmente, atua como um mindset, um poderoso gatilho mental que induz o subconsciente ao consumo deste material genético.

Mas, nem sempre um TOP 0.1% é o que a propaganda faz crer. É absolutamente comum e compreensível que um touro seja extremamente diferenciado em algumas DEPs e nem tanto em outras de grande impacto econômico.

2.341 views

Touro provado é a semente certificada da pecuária

Touro provado é a semente certificada da pecuária

Hoje, a agricultura é uma referência quando o assunto é adoção de tecnologia. Máquinas controladas via satélite, aplicativos de celular capazes de medir a fertilidade do solo, monitoramento rigoroso da meteorologia e dos fenômenos climáticos são algumas das ferramentas utilizadas para ajudar o agricultor a elevar a produtividade por hectare, uma métrica que aos poucos vem sendo adaptada à pecuária.

Entretanto, o principal fator que ajudou a revolucionar este setor é muito mais simples, se assim podemos definir, ou pelo menos mais fácil de explicar: a semente certificada. Desenvolvida em torno dos anos 1900 na Califórnia, nos Estados Unidos, segundo o engenheiro-agrônomo Rui Colvara Rosinha, elas passaram a ser difundidas com mais afinco no Brasil em 2003, através de um projeto elaborado pela Abrasem.

A iniciativa se mostrou assertiva e, atualmente, em torno de 80% do mercado agrícola só compra semente certificada. Isso porque os agricultores já assimilaram que apenas as sementes certificadas garantem origem, qualidade, segurança, resultado e levam inovação ao plantio. Já a grande maioria dos pecuaristas faz o contrário e aposta nas sementes de “milho de paiol”, ou seja, os touros ponta de boiada.

222 views

A remissão do caranguejo

A remissão do caranguejo

Menino ou menina, toda a criança um dia assistiu Luluzinha, seja o original de 1935, o remasterizado ou o arquivo MP4. Um dos personagens era um garoto de apelido Bolinha. Bolinha tinha um clube fechado para garotos que também levou seu nome: Clube do Bolinha.

Não sei dizer se o termo nasceu aí ou perpetuado pelo célebre apresentador Bolinha (Edson Cury), sucesso na TV brasileira nos anos 70 e 80, mas, eu, particularmente, me familiarizei através do desenho. A ABCZ, por muitas décadas, e até um passado mais recente, teve sua fase de Clube do Bolinha.

Um seleto grupo de 1.000 associados ditava o tom nas pistas e buscavam valorizar seus bovinos PO a todo custo.  O alvo, como sempre, o alto empresariado, políticos e artistas brasileiros. História que agora começa a mudar após o mercado guinar no rumo mais profissional – palpado no investimento seguro.

207 views