Como todos conhecem existe um jargão consolidado na criação de gado, o famoso “touro de boiada” ou “boi de boiada”.

Ainda é bastante comum alguns pecuaristas, notadamente aqueles mais tradicionais, elegerem o macho mais bonito do rebanho para cobrir a vacada na próxima estação de monta.

Nada demais?

Depende! Se ao menos o pecuarista acompanhasse de perto o desenvolvimento de duas safras de bezerros geradas pelo suposto reprodutor, talvez tivesse alguma informação para confirmar sua teoria.

Agora, imagine se o dito reprodutor esconder problemas de aprumos, gerar bezerros de frame (tamanho) grande, tiver costelas pouco arqueadas ou não depositar a quantidade de gordura desejada durante a terminação.

Ou seja, o “touro de boiada” não oferece qualquer garantia para o melhoramento genético do rebanho. Mesmo assim, muito pecuarista aposta muitas fichas nele.

Mas, existe solução?

Sim, claro! E tal solução será vista aqui no Blog PecNética semanalmente a partir de 9 de junho. Vamos tratar apenas de melhoramento genético na pecuária, que é possível apenas com ajuda de um bom teste de progênie ou, quando menos se esperar, também da genômica.

33 views